Guia – como comprar vinhos no Chile

O brasileiro que viaja ao Chile tem sempre uma missão: voltar com a mala cheia de vinhos. Com os preços exorbitantes no Brasil, às vezes fica mais barato cruzar a cordilheira para renovar o estoque da adega.

Quando morei em Santiago, fiz um curso de sommelier e estágio em lojas de vinho. Acabei, compulsoriamente (rs), virando especialista em ajudar os parentes e amigos nessa missão.

ONDE COMPRAR?

Essa pergunta tem muitas respostas. Antes de qualquer coisa, tenha bem claro que vinhos você quer levar. Ou pelo menos, saiba as uvas. (o próximo tópico deverá te ajudar nisso)

IMG_2837
Logo no começo da viagem – com a sua listinha em mãos – passe em algum supermercado que encontrar pelo caminho. O Líder é o mais barato, mas o preço do vinho não costuma variar tanto entre eles. Anote o preço de 3 ou 4 vinhos que você gostaria de levar.

Atenção, fique de olho nas promoções dos mercados. No Tottus, peguei várias vezes promoções do tipo “Todos os vinhos e espumantes com 40% de desconto”.

A próxima parada é uma loja chamada Muldo del Vino. Compare os preços que você anotou no mercado. Essa loja geralmente tem boas promoções e alguns preços mais interessantes que o próprio supermercado. A vantagem de comprar lá? A variedade. Você encontra desde Casillero del Diablo até os premiados Alma Viva e Don Melchior.

Outra vantagem de comprar no Mundo del Vino é a chance de negociar com o vendedor. Se você levar uma boa quantia, muitas vezes rola um bom desconto! Sempre negocie, mas atenção: às vezes, representantes das vinícolas ficam na loja ajudando a vender os próprios vinhos. Não significa que eles vão recomendar vinhos ruins, mas eles não terão autonomia pra negociar com você. Tenha certeza de que você está falando com um vendedor da loja.

imagem: pt.made-in-china.com

Outra vantagem é que eles já estão acostumados a embalar os vinhos para viagem. Eles tem pra vender uma bolsa de plástico inflado, que embala os vinhos um por um (foto ao lado). Às vezes (dependendo do valor da compra), eles te dão essas bolsas. Se não derem, peça! Um amigo fez uma “senhora” compra e ganhou umas 20 bolsas quase de graça. Ela é útil para o caso de você não querer despachar a caixa de vinho e acomodar as garrafas na sua mala. E ainda pode ser reutilizada em outras viagens.

Existem 2 casos que não valem a pena comprar no Mundo del Vino: 1) Se os preços no mercado estiverem mais baixos, claro. 2) Se você só quiser comprar vinhos “baratos”, por exemplo Casillero del Diablo. Se o valor da sua compra não for interessante pra eles, não vai rolar desconto nem a bolsinha porta-vinho.

Free shop, vale a pena? Os vinhos no free shop de Santiago são um pouco mais caros, mas se você esqueceu o presente do amigo ou acha que não comprou o suficiente, o free shop ainda vale mais a pena que comprar no Brasil.

Outra opção são as vinícolas que certamente farão parte do seu roteiro em Santiago. Na lojinha da Concha y Toro os preços eram mais altos que no mercado, mas volta e meia rolava uma promoção. Nas vinícolas menores eu sempre achava os melhores preços.


QUE VINHO COMPRAR?

Bom, isso depende muito do gosto pessoal. Eu sempre sugiro comprar vinhos pensando em:

1) OCASIÃO: variar entre opções para o dia-a-dia (mais baratos) e ocasiões especiais (mais sofisticados)

2) HARMONIZAÇÃO: escolha um mix de diferentes uvas para harmonizar com vários tipos de pratos. Dá uma olhada nos links abaixo:
Maridaje vinhos tintos
Maridaje vinhos blancos

3) PRODUTOS LOCAIS: no Chile, a uva Carmenère é a grande estrela e a exclusividade do país.

Outra dica importante é comparar no rótulo a uva e vale. Dependendo do clima predominante nesse vale, algumas uvas se desenvolvem melhor que outras, produzindo então melhores vinhos. Fiz uma tabelinha simples pra ajudar:

chile-vinho   uvas-vales-chile

O Casillero del Diablo sem dúvida é o mais famoso no Brasil e é excelente na relação custo-benefício. Recomendo também o Sauvignon Blanc da Casas del Bosque e o Trio da Concha y Toro.

COMO LEVAR?

A MALA:
Caso você não tenha a bolsa de plástico pra vinho, minha sugestão é embrulhar cada vinho em um saco plástico (de mercado mesmo) e depois enrolar cada garrafa com algumas pecas de roupa. Tem risco de quebrar? Tem, claro. Comigo nunca aconteceu, mas garanta que suas roupas mais “queridas” estejam em outra mala. Outra dica é usar plástico bolha.

EMBARCANDO:
Bom, eu não sou expert no que pode ou não pode. E, além disso, as restrições variam de acordo com a empresa aérea. Vou contar aqui minha experiência e as experiências de amigos.

Na bagagem de mão eu pensava que só podiam ir os vinhos comprados no free shop, mas em uma das viagens a atendente da LAN disse que poderíamos levar 3 garrafas. Não levamos porque já estava tudo arrumadinho na outra mala, mas confesso que nunca tinha ouvido falar disso. De novo, vale a pena confirmar com a empresa antes de se arriscar.

Na bagagem que será despachada, a aduana brasileira impõe um limite de US$ 500 e/ou  12 litros (= 15 garrafas de 750ml). Meu máximo foram 10 garrafas. Até porque, se você trouxer as 15 permitidas vai estourar o limite de bagagem da cia aérea, que tanto na LAN quanto na TAM são de 23kg/pessoa.

Caso você despache uma caixa de vinhos, sinalize no check in que se trata de bagagem frágil. Eles colam um adesivo grande para sinalizar.

Alguns dizem que é sempre bom variar os tipos de vinho. Trazer todas as garrafas do mesmo vinho poderia caracterizar revenda e não consumo próprio.

Vale reforçar que é sempre bom consultar a cia aérea antes de comprar os vinhos, do contrário a mocinha do check in vai ficar bem feliz em receber alguns vinhos de presente.

Bons vinhos, boas compras e boa viagem! =)

9 opiniões sobre “Guia – como comprar vinhos no Chile

    • Olá, Ulisses.
      Vale sim. Tanto comprar, quanto fazer a visita com degustação.
      Acabei de retornar de uma viagem ao Chile. Dessa vez, visitei a vinícola Casas del Bosque, no Vale de Casablanca, e fiquei simplesmente apaixonada! Os vinhos Sauvignon Blanc deles são simplesmente divinos! Super recomendo! Em alguns dias eu publico sobre a visita a vinícola.
      Abraços, Cris sem h.

      Curtir

    • Oi Ulisses! é a outra Chris! Como a Cris falou, vale a pena sim… a variedade na vinícola (de produtos próprios, é claro) é maior que no mercado ou numa loja de vinhos especializada. Com relação ao preço depende, às vezes um ou outro está mais barato, mas no geral, compensa mais comprar no mercado. Minha sugestão é sempre chegar no Chile e dar uma passada no mercado para ver os preços, aí você já tem uma boa base de comparação.
      Abs e boa viagem!

      Curtir

    • Eu fui fazer o tour da Concha y Toro super sem expectativa pois é muito turistão e me surpreendi muito. O passeio é muito legal do início ao fim. Saí torto de tanto vinho que eu bebi e muito feliz com a visita. Recomendo o tour completo que tem a degustação e no final você tem um desconto em vinhos (que já são bem mais baratos que aqui no Brasil) e compensam muito a diferença de preço entre o passeio basicão e o completinho.

      Curtir

      • Olá, Alan Rodrigo.
        Muito bom o tour da Concha y Toro, né? Realmente compensa fazer o tour completo. Também curti os vinhos, a paisagem e o atendimento. E a loja também, mas não achei tão barato em relação a mercados (como o Jumbo).
        Abraços, Cris

        Curtir

    • Oi, Eduardo. Tudo bem?
      Na sua mala a ser despachada, você pode levar até 12 garrafas, desde que não ultrapasse os 23Kg.
      Na bagagem de mão, normalmente, apenas o que for comprado no free shop. Algumas cias aéreas (como a Lan no voo da Chris), permitem que você leve até 3 garrafas. Mas você deve entrar em contato com a cia aérea pela qual vai voar para se informar, ok?
      Abraços e bom voo. Cris.

      Curtir

  1. IMPORTANTE DICA: Para as pessoas que pretendem conhecer Santiago e Mendoza partindo e voltando por Santiago é necessário se atentar no retorno que se pode retornar à Santiago somente com 2.5l de bebidas álcoolicas por pessoa, acabei de retornar em Fevereiro /2016 do Chile e quase perdi minhas preciosas garrafas de Mendoza na Imigração do Chile, fiquem atentos pois não havia encontrado esta dica em nenhum lugar.

    Curtir

  2. André,

    Farei exatamente como você, São Paulo —–>Santiago ——>Mendoza ——-> São Paulo.
    Minha preocupação é realmente com os vinhos, existe algum método legal que permita ingressar novamente a Santiago com mais de 2,5l de vinho?
    Digo isso, porque é realmente dificil estar em Mendoza e levar apenas 3 garrafas rs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s