Côte D’Azur e Provence – mitos e verdades

Verãozão europeu, alta temporada no Sul da França. Muita gente falava “Você é louca? Essa época é lotada de gente”. “Transito caótico.” Ou então “O calor é insuportável”. “A água é muito fria”. “Tudo é muito caro”.

Alguns mitos, mas muitas verdades também. Depois de 13 dias por lá, separei dicas e percepções dessa (pessoa-que-voltou-de-férias-feliz) que vos fala:


Trânsito

Esse foi o principal alerta que recebi dos europeus aqui na Suíça. Confesso que bateu medinho, porque o marido detesta (com todas as forças) engarrafamento. Já estava preparada pro pior, mas não chegou nem perto disso.

Quem já encarou os quilométricos engarrafamentos da Região dos Lagos (RJ) ou nas praias de SP, vai ficar feliz da vida com o trânsito por lá. É cheio, mas anda. E anda bem, você só para mesmo no semáforo ou em alguma ruazinha mais estreita.

Nas rodovias ou nas pequenas estradinhas entre as cidades da Côte D’Azur, quase não há trânsito. Em 13 dias só pegamos engarrafamento em dois momentos: no último km da rodovia antes de chegar em Nice e para entrar e sair de Saint-Tropez. Por lá, o trânsito foi chatinho mesmo, a cidade é pequena e as estradas de acesso só tem 1 pista de cada lado. Em Provence não pegamos nada de trânsito.

Calor

Essa é a maior verdade de todas! Confia em mim. Eu, carioca-que-não-gosta-de-dias-nublados, pensei que até ia sentir um friozinho a noite. Levei 2 jaquetinhas que não foram nem tiradas da mala. Por isso, não subestime o verão europeu. É quente, meu povo. Quente pra burro. Em algumas cidades, como Nice, além de quente, é úmido. E lembre-se que nessa época o sol é até 9 da noite!

Falando nisso, meu maior conselho pra você é: reserve um quarto com AR CONDICIONADO. Não sei porque raios alguns hotéis não tem ar. Fique atento a isso na hora de escolher a hospedagem ou sua viagem pode não ser tão agradável.

Na Provence é mais fresquinho, mas ainda assim é quente. Ficamos em 3 hotéis por lá e um deles não tinha ar (comi bola!). Não foi insuportável, mas pra dormir não foi tão fácil assim. Principalmente, porque se você deixar a janela aberta entram alguns mosquitinhos chatos (leve repelente!).

Praias: água gelada, praias de pedrinha

A água não é tão quentinha quanto a das praias brasileiras, mas nada insuportável. Com 35ºC lá fora, sem dúvida você não vai dispensar um tchibum.

Existem muitas praias de areia também, como a Papelonne Beach perto de Saint-Tropez. Mas as praias de pedrinha não são tão ruins quanto parecem, nada que havaianas ou sapatilhas de borrachas (melhor ainda) não resolvam. Pra ser sincera, eu até gostei de não voltar pro hotel cheia de areia.

Preços

É caro sim, mas tem alternativas. Ficamos em bons hotéis a preços razoáveis. E ainda tinham opções mais baratas. É claro que, para quem ganha em Real, tudo em Euro fica consideravelmente mais caro. Mas isso é parte do custo de quem quer viajar pra Europa, não é verdade? Tirando o cambio, existem alternativas que podem fazer sua viagem mais barata.

Em geral, a Côte D’Azur é mais cara que Provence, mas em ambas a infraestrutura das cidades (até as menores) é bastante boa. Sempre tem um mercadinho (Carrefour ou Petit Casino) que salva a vida. Nós conseguimos baratear a viagem comprando bebidas (água principalmente), snacks, sanduíches e até refeições prontas (vulgo “quentinha”) para picnic (vulgo “farofa”) na praia! =)

Só pra você ter uma ideia da “economia” que se pode fazer comprando no mercado: uma garrafinha de água gelada num bar em Saint-Tropez custa € 3,5 (= R$ 10). No Carrefour, comprei a mesma água (gelada também) por 0,3 (= R$ 1)! Por isso, esse é meu 2º melhor conselho pra você: leve seu pequeno cooler e não dispense as comprinhas no mercado.

Também há opções de restaurantes bons e baratos. Basta garimpar. A França está cheia de creperias deliciosas, excelentes alternativas para refeições mais baratas.


Carro, realmente necessário?

Sim. Carro faz toda a diferença, principalmente se o objetivo for conhecer várias cidades da região. Em Côte D’Azur até há trem e ônibus para algumas cidades (Cannes, Mônaco, Nice, etc), mas na Provence as opções de transporte são BEM mais limitadas, principalmente se você quiser descobrir as lindas estradinhas e seus campos de lavanda e girassol. Além disso, durante o verão é dureza ficar carregando mala de um ônibus pra outro, né não?

Uma dica bacana é alugar um carro a Diesel. Bem mais barato para abastecer.

Ah! E não se preocupe com estacionamento. As cidades são repletas de estacionamentos gratuitos e pagos, basta seguir as placas com um P azul ou procurar uma vaga (sinalizada) nas ruas. Eu chutaria dizer que, entre 10 estacionamentos que paramos, 3 ou 4 eram pagos e nem eram tão caros assim.

Em breve, mais posts sobre as férias no Sul da França.

2 opiniões sobre “Côte D’Azur e Provence – mitos e verdades

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s