Viajando pela África do Sul: roteiros e dicas

bandeira-E aí, pessoal! Acabei de retornar com meu noivo, no ultimo domingo, da África do Sul. Passamos 18 dias no total lá, excluindo o tempo de viagem de ida e volta. Foi uma viagem longa, passamos por 16 cidades, nos locomovendo entre elas com carros alugados, vôos domésticos (em aviõeszinhos minúsculos!) e passeios de agências ou transfers. Sim, foi cansativo… mas M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!! Normalmente você fica doido pra voltar pra casa no final, mas nós queríamos mais! Pena que acabou! Mas com certeza voltaremos lá! Valeu muuuito!

Esse foi o nosso roteiro completo na sequência que fizemos, que foi muito bem planejado com antecedência, com a ajuda de vários outros blogs. Recomendo bastante essa sequência e essa ordem, que economiza tempo (e grana) e deixa o Kruger (grande carro-chefe) pro final.

Roteiro feito de carro, exceto PE - Durban - Nelspruit, feito em 2 vôos domésticos

Roteiro feito de carro, exceto Port Elizabeth – Durban – Nelspruit, feito em 2 vôos domésticos

Nós em V&A Waterfront, Cape Town

Nós em V&A Waterfront, Cape Town

Fiz posts individuais com dicas e relatos de cada local onde passamos. Acompanhe:

A África do Sul nos surpreendeu muito! As cidades são limpas e bem organizadas, o povo muuuito simpático e educado. Eles te respeitam e confiam na sua educação e respeito: em nenhum hotel houve verificação do quarto ou frigobar na hora do check-out nem vistoria do carro alugado na devolução, por exemplo.

Dicas sobre a África do Sul:

Randes sul-africanos: notas novas (com o Mandela) e antigas

Randes sul-africanos: notas novas (com o Mandela) e antigas

Grana: nessa onda de dólar alto, esqueça dele! Libere seus cartões para uso internacional e faça saques em randes (moeda local) nos caixas eletrônicos de lá! Usamos cartões do Banco do Brasil e do Santander, em caixas eletrônico de vários bancos com a bandeira do Visa, Cirrus e Plus. Fizemos saque em várias cidades, nos shoppings, aeroportos, e sempre funcionou! É a melhor forma de fazer a conversão perdendo o mínimo em taxas. Para não chegar sem nada, os mais prevenidos podem trocar reais por randes na casa de câmbio “Cotação” do aeroporto de São Paulo antes de embarcar, foi onde conseguimos as melhores taxas, e não precisa agendar. Não use o cartão de crédito nas compras, o IOF de 6,38% é a opção menos vantajosa! O real está valendo agora cerca de 4 randes.

Taxas: O VAT (imposto de valor agregado) é cobrado na maioria das compras e serviços. Turistas estrangeiros podem pegar o reembolso dele apresentando as notas das compras (não vale comida nem serviços, como hotéis e aluguel de carro) no aeroporto antes do check-in, no dia de retorno ao Brasil. Eles conferem e carimbam as notas e você entra em outra fila já no saguão de embarque para trocar por um cartão. Mas chegue muuuito tempo antes do seu vôo, tipo 4h (veja quanto tem a receber e se vale o estresse). A fila estava longa e não andava (porque a conferência é manual), e desistimos para não perder nosso vôo.

Fuso: lá são 5 horas a mais que o horário de Brasília (ou 6-7h em relação a Manaus!!! rsrs).

Clima mais próximoa do pólo sul! rsrs

Clima mais próximo do pólo sul! rsrs

Clima: nós fomos em meados de setembro até o inicinho de outubro = final do inverno e início da primavera. Fez um frio da p*##@! Passamos muito frio em toda a costa sul, pegamos chuva de granito granizo em Cape Town! No Kruger, de manhã cedo e a partir da tardinha, também faz muito frio.

Levar na mala: casacão com roupas de baixo de lã, gorro e luvas. Se prepare com bastante agasalhos e roupas quentes na mala! Usei camisetas apenas pela hora do almoço mais pro norte (Kruger, Panorama Route e Johanesburgo). Mas as regatas, short, saia e sandália nem saíram da mala, só fizeram peso.

Comida: merece um post só para falar das comidas e bebidas locais, além dos restaurantes em que comemos.

Malária: o Kruger fica em área de ocorrência do mosquito transmissor. Não há vacina. Recomenda-se tomar um medicamento que ajuda a evitar a doença, por 2 dias antes de entrar na área de ocorrência, todos os dias em que estiver lá mais 5 dias depois, que pode dar alguns efeitos colaterais. E usar repelentes locais, roupas compridas para cobrir o corpo, inseticidas no quarto… Recomenda-se! Mas nós não fizemos nada disso e estamos vivos ainda.

10 opiniões sobre “Viajando pela África do Sul: roteiros e dicas

    • Oi, Lilian. Tudo bem?
      Olha, eu fui entre setembro e outubro. Peguei mais frio em Cape Town, porque choveu. Mas nada insuportável ou que impedisse de fazer os passeios.
      Acho que dá pra ir sem medo. Apenas leve agasalho e roupas em camadas para se proteger.
      Beijo, Cris.

      Curtir

  1. OI Cris, quero fazer uma viagem muito parecida com a sua, estou adorando o Blog, irá continuar a contar resto da viagem? Abraço
    Dias 7 a 10: Hermanus + Garden Route
    Dias 11 a 13: Durban e Nelspruit
    Dias 13 a 16: Kruger National Park
    Dias 16 e 17: Panorama Route
    18 e 19: Johanesburgo

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá, Cleiton! Tudo bem?
      Essa viagem foi uma delícia! Recomendo e adoraria repetir.
      Eu pretendo continuar a contar sim, estou devendo isso, sorry. Mas ando meio atolada com trabalho. Assim que der eu faço 😉
      Abraço

      Curtir

  2. Olá Cris, parabens pelo blog. Achei muito bacana seu roteiro.

    Tenho uma dúvida. Preciso de carteira internacional de habilitação para dirigir por lá? se sim, como faço para obte-la? Obrigado e sucesso no blog.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s