Cape Town – África do Sul (parte 1)

Table Mountain

Table Mountain

Aaaah, Cape Town… Cidade receptiva, com atrações para todos os gostos e muita coisa pra fazer. Passamos 6 dias lá mas dava para ficar mais, e passar uma boa temporada . Ronaldo fenômeno e Madonna tem casa em CT. Por que não? rs

Muitos comparam CT ao Rio. Cidade turística, praia, montanhas, bondinho… Mas fica por aí. Dá pra comparar apenas grosseiramente, aí Garden Route seria a Região dos Lagos, Panorama Route seria Minas Gerais e Johanesburgo, São Paulo. Talvez Wine Route, a região sul brasileira. Mas apenas grosseiramente.

O clima, por exemplo, é bem diferente do Rio. Pegamos 4 dias bem ruins em CT, com muito frio, vento e chuva. Nem se compara ao pior dos invernos no Rio. Mas os últimos 2 dias compensaram, com um sol gostoso e belo céu azul. Não que o frio tenha ido embora, mas as fotos ficaram ótimas 😉

P1250087-IMG_1836Dia 1– Chegamos do vôo de Johanesburgo, mortos de cansados após tantas horas viajando. Ainda bem que reservamos transfer do nosso hotel: um belo jaguar vermelho e uma dona muito simpática (minha xará) nos aguardava para nos levar ao Cape Diem Lodge, um charmoso hotel-boutique (leia sobre ele aqui).

Hoje foi só descansar e sair pra comer. Fomos ao mini-shopping Cape Quartier e jantamos no Zabad.

Proteas, plantas típicas sul-africanas, em exposição no Waterfront

Proteas, plantas típicas sul-africanas, em exposição no Waterfront

Dia 2– Tempo horrível: nublado, chuva, frio! Nem dava pra ver a Table Mountain. Fomos pro Waterfront (que é um porto bonito e arrumadinho) aproveitar os lugares fechados: shopping Victoria Wharf, Robben Island Museum (fomos só no prédio no Waterfront, e não pra ilha, não sai o barco do passeio com chuva), Diamond Museum (no Clock Tower, que mostra a história da exploração de diamantes na África do Sul: surpreendente!), V&A Craft Market (mercado de artesanato) e Aquário Two Oceans. Dá pra ir andando de um pro outro. Ficamos horas curtindo o aquário, muito legal! Almoçamos no Moyo ao lado do Clock Tower e jantamos no Ocean Basket.

waterfront

 

Two Oceans Aquarium

Two Oceans Aquarium

 

City Sightseeing Bus, Cape Town

Escolhendo a rota

Dia 3– City Sightseeing Bus, rota azul.

Em CT há 2 rotas dos ônibus turísticos vermelhos de 2 andares, onde você pode descer nos pontos turísticos e subir de novo nos próximos ônibus (a cada 20 min) pagando apenas a diária. Há desconto para 2 diárias consecutivas com direito a usar as 2 rotas (vermelha e azul) mais a rota lilás para as vinícolas de Constantia Valley (que emenda na rota azul) e o Canal Cruiser e sunset-tour.

Nesse dia fizemos a rota azul + lilás. Estava chovendo e bem frio, nem dava pra usar o 2º andar aberto do ônibus. Mas fomos assim mesmo. Descemos no jardim botânico Kirstenbosch (uma graça, mas pegamos uma boa chuva com direito a granizo!) e em Groot Constantia (mais antiga região produtora de vinho da África do Sul, área colonizada por franceses, que até hoje produz o vinho que Napoleão apreciava!). Depois de fazer a degustação dos ótimos vinhos e comprar 2 garrafas (me apaixonei pelo Chardonnay!!!), seguimos pela linda orla de volta ao Waterfront. Jantar no Quay Four.

Kirstenbosch

Kirstenbosch

Groot Constantia

Groot Constantia

Dia 4– City Sightseeing Bus, rota vermelha.

Dia ainda ruim. Chovia e parava o dia todo. Pegamos a rota vermelha e descemos na parada 4. De lá dá pra ir andando para vários pontos no Centro: Green Merket Square (feira de artesanatos numa praça, não gostei dos preços, nas lojas do Waterfront vi as mesmas coisas mais em conta sem os vendedores ficarem empurrando), Catedral St. George (sede da Igreja Anglicana na Africa do Sul, onde o bispo Desmond Tutu, herói da resistência durante o apartheid junto com Nelson Mandela, celebrava missas), Company Gardens, um jardim fundado pelos holandeses em 1652, onde ficam prédios importantes: Iziko SA MuseumCasa do Parlamento, Tuynhuys (residência usada pelo presidente quando em CT), Museu de História Natural SA (adorei!!!), Planetarium, Biblioteca Nacional de SA, Galeria Nacional SA (de artes), Grande Sinagoga, Centro de Holocausto… Fora o próprio jardim com suas flores e os simpáticos esquilos que sobem em você!

Company's Garden

The Company’s Garden

Almoçamos na Long St. e voltamos pro ônibus na mesma parada. Apenas vimos, sem descer, o Castle of Good Hope  na parada 10 (museu e edifício mais antigo da África do Sul, um antigo forte construído pelos holandeses entre 1666 e 1679), logo depois o prédio onde Mandela fez seu 1º discurso após ser liberto. Vimos também o bairro Bo-Kaap (próximo a parada 11).

Completamos o circuito (de novo pela linda orla) e, de volta ao Waterfront, na altura do aquário, pegamos o passeio Canal Cruiser com 30min de duração. Foi interessante ver os condomínios de luxo com acesso exclusivo pelo canal, mas dispensável. Acabamos dispensando o sunset-tour, pois duraria 3h.

Orla de Cape Town: Camps Bay e os 12 apóstolos, farol de Green point e barco do Canal Cruiser

Orla de Cape Town: Camps Bay e os 12 apóstolos, farol de Green point e barco do Canal Cruiser

Voltamos para a Long St. a noite para jantar no Mama Africa. Depois fomos tomar uma cerveja local no The Dubliner Pub, na mesma rua.

Ficamos mais 2 dias fantásticos em Cape Town, farei o relato deles na parte 2 desse post.

Veja o roteiro completo da África do Sul aqui.

2 opiniões sobre “Cape Town – África do Sul (parte 1)

    • Olá, Millena. Como vai?
      Olha, você diz que não é fluente em inglês, mas depende do quanto você fala, se pouco, médio ou nada…
      Se você estiver pensando em Cape Town, uma cidade cosmopolita, um inglês médio é suficiente. Mas se você não souber quase nada e/ou quiser se arriscar por outros lugares, recomendo você procurar uma companhia para a viagem (amiga/o ou até desconhecidos: no Mochileiros.com, por exemplo, as pessoas buscam outras com o mesmo destino de interesse para companhia e divisão de custos) que tenha o inglês melhor, ou procure um guia em uma agência de viagens. Várias fazem pacotes para o exterior que incluem guias em várias línguas, inclusive o português. Ou um cursinho… Há cursos de língua (intercâmbio) desde 1 mês no exterior, aí você estuda e aproveita para turistar 😉
      Há alternativas. Só não deixe de viajar por isso, ok?
      Boa sorte! E volte para nos contar. Beijo, Cris.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s