Presidente Figueiredo – Um oásis próximo a Manaus

Galo-da-serra, escultura com a ave-símbolo na entrada da cidade

Galo-da-serra, escultura com a ave-símbolo na entrada da cidade

 

Presidente Figueiredo fica a menos de 2 horas de Manaus, 107Km ao norte. O município é um importante destino ecoturístico regional, por ter quase 100 cachoeiras, cavernas e corredeiras. Dá pra passar o final-de-semana ou feriado, mas também pra ir num bate-e-volta de um dia só (full day).

Como chegar

Dá pra chegar de carro pela BR-174 a partir de Manaus. A mesma estrada liga o município a Boa Vista, em Roraima. Agências de turismo fazem passeios e pacotes. Dá pra ir de ônibus, mas se deslocar até e entre as cachoeiras é difícil.

Curiosidades

O nome do município não é homenagem ao ex-presidente João Figueiredo, mas ao presidente da província do Amazonas no império. Isso porque o 1º não aceitou dar seu nome ao município. Presidente Figueiredo ficou conhecida pela usina hidrelétrica de Balbina, de alto custo, baixa geração de energia e responsável por uma das maiores catástrofes ambientais do Brasil (Saiba mais aqui e aqui).

Como foi

Fiz um delicioso passeio de domingo com meu noivo e um casal de amigos a Presidente Figueiredo. Alugamos um carro e saímos umas 6h da manhã de Manaus rumo ao norte. Pegamos a Torquato Tapajós até o final e uma entrada à esquerda para a BR-174 logo após a cabine da polícia rodoviária. Estrada boa e tranquila, com lindas vistas de igarapés pelo caminho.

Uma estrada para a direita logo no início da cidade, a AM-240, leva à metade das cachoeiras. Mas fomos primeiro no centro tomar um café-da-manhã reforçado. Atrás das estátuas de galo-da-serra, ficam a rodoviária e as lanchonetes. Tapioca com queijo-coalho, tucumã e castanha, e suco de frutas regionais (leia sobre as comidas típicas do Amazonas aqui). Hummmm

É bom lembrar que a maioria das cachoeiras fica dentro de áreas privadas, então é necessário pagar uma taxa de 5 a 10 reais por pessoas para entrar.

Mapa das cachoeiras aqui

Cachoeira da Pedra Furada

Pegamos a AM-240 e começamos pela Cachoeira da Pedra Furada, no KM 57. Não há nenhuma estrutura turística, nem lanchonete, nem banheiro, nem pessoas. Amei!!! Pagamos na entrada, andamos mais um pedaço de estrada ruim de carro, depois pegamos uma trilha curta e ficamos só nós 4 curtindo a cachoeira, a natureza e a paz maravilhosas. Leve sua água e, se for passar mais tempo, um lanche. Não esqueça de trazer de volta todo o seu lixo.

Trilha para Cachoeira da Pedra Furada

Trilha para Cachoeira da Pedra Furada

Cachoeira Pedra Furada

Cachoeira da Pedra Furada

Reserva Ecológica do Santuário

Reserva-Ecologica-SantuarioDepois, no KM 12, fomos para a Reserva Ecológica do Santuário. O lugar é muito interessante, tem uma estrutura turística e estava lotado! A queda d’água é perigosa, em rochas altas e escorregadias e há placas proibindo as pessoas de ir. Mas… estava cheio de gente lá. Vai de cada um, eu não me arrisco. Pontes de madeira levam para uma ilha com gazebo e bancos, cercada por piscinas naturais. Uma delícia! Pena que tão cheio. Encontrei um cantinho mais reservado e tirei um cochilo para continuar a jornada do dia.

Cachoeira do Santuário

Cachoeira do Santuário, difícil um ângulo sem tantas pessoas. Aproveitamos um raro momento da cachoeira vazia

Piscinas naturais em torno de uma ilha, na Cachoeira do Santuário

Piscinas naturais em torno de uma ilha, na Cachoeira do Santuário

Queríamos muito entrar na Caverna Refúgio do Maroaga e Gruta da Judéia, mas era muito caro. Cobraram R$100 o grupo. E ia demorar para entrar. Desistimos 😦

Voltando ao Centro, entramos no Parque Urubuí. Estacionamento grande e lotado, muitos restaurantes. Chegamos perto do rio e vimos um formigueiro de pessoas. Nem descemos do carro. É o tipo de lugar que só dá pra ir durante a semana, sem feriado.

Cachoeira da Onça

Logo depois do Centro, no KM108 da BR-174, está uma escondida entrada à esquerda  para a Cachoeira da Onça. Pagamos entrada e pegamos uma trilha também, com ponte sobre o igarapé. A queda é pequena, bem rente a rocha, mas bem forte. Delícia sentar debaixo dela e sentir a força da água te massagear a alma. Valeu a pena ir lá! Haviam poucas pessoas, há um gazebo e espaço para picnics.

Trilha para Cachoeira da Onça

Trilha para Cachoeira da Onça

Cachoeira da Onça

Cachoeira da Onça

Voltamos a tardinha, anoitecendo na estrada. Ótimo passeio! Pretendo repetir e conhecer as outras cachoeiras.

Leias Mais sobre a “terra das cachoeiras”:

Leia Mais sobre Manaus e arredores:

Uma opinião sobre “Presidente Figueiredo – Um oásis próximo a Manaus

  1. Pingback: Guia de Viagem para Manaus | RBBV – Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s