Novo Airão – Amazonas, e os botos-cor-de-rosa

novo-airao2Novo Airão é O lugar para ver os botos-cor-de-rosa, passeio imperdível para quem vem a Manaus. Já tinha “visto” os botos (só a nadadeira e a ponta do bico vale?) em outro local, em passeio de barco (contei aqui). Mas em Novo Airão, no Flutuante da Marilda, você consegue ver os animais bem de perto e inteiros! Lá, essa atividade é orientada e fiscalizada pelo ICMBio, que não permite que se nade com os botos. Você pode, no máximo, descer numa plataforma com a água pela cintura, vestido com colete, e passar a mão nos botos, depois de receber orientação sobre como fazer. E valeu muito ter ido lá, agora posso dizer que vi os botos de verdade! E interagir com eles, de forma sustentável!

Separe um dia inteiro para esse passeio, seja de barco ou de carro. O município fica a 180Km de Manaus. Com a ponte nova sobre o Rio Negro, é possível chegar de carro a partir de Manaus, mas você leva 3 horas para ir e mais 3h para voltar. Se liga no horário, planeje-se direitinho, para não pegar a estrada escura na volta.

NovoAiraoFui com um casal de amigos agora em abril. É uma viagem bem longa mesmo. Ao chegar em Novo Airão, demos uma passadinha no Centro de Atendimento ao Turista (bom atendimento e ótimo mapa). A cidade é praticamente uma reta que leva até a beira-rio e algumas transversais. Fomos logo almoçar no Restaurante Florestas: Pirarucu e Tucunaré grelhados com ervas aromáticas, acompanhados por arroz e salada. Pratos individuais, gostosos e bonitos. Nenhum estabelecimento aceita cartão: leve dinheiro para todas as operações. Ao lado do restaurante, fica a lojinha de artesanatos Ecoloja. Há uma praça central com estátuas de dinossauro. E numa transversal, a Igreja Matriz Santo Ângelo. E só.

Os restaurantes são simples, mas a comida é deliciosa.

Os restaurantes são simples, mas a comida é deliciosa.

Flutuante da Marilda: não há placas de identificação.

Flutuante da Marilda: não há placas de identificação.

Com o estômago forrado, hora dos botos. No flutuante da Marilda, a alimentação é feita apenas pela responsável (no dia que fomos, era a filha da Marilda, Marisa) de hora em hora. E os animais avistados são marcados em uma planilha do ICMBio. Ela conhece cada animal pelo nome, incrível! Chegamos num intervalo entre alimentação, teríamos que esperar. Fomos aguardar na plataforma e não é que, de cara, já vimos vários botos? Choquei! Já valeu o passeio!!! Apesar da água escura do Rio Negro, quando próximos a superfície, os botos ficam super visíveis.

Eu, maravilhada com o boto-cor-de-rosa.

Eu, maravilhada com o boto-cor-de-rosa.

Fizemos várias fotos. Quando chegou a hora da alimentação, a Marisa nos explicou, e fomos para a parte baixa da plataforma. Aí chegaram quase uns 10 botos, disputando os peixes. Eles pulam bem pra fora da água. Incrível!

Marisa e a alimentação dos botos

Marisa e a alimentação dos botos

Consegui fazer carinho debaixo do bico de alguns, muito legal! Fantástico! Nem entramos na água, não era necessário. A Vivi chegou a ficar com medo deles e ficou só admirando, preferiu não tocar. São animais grandes, chegando a 3m, mas são dóceis.

Interação com os botos: momento mágico!

Interação com os botos: momento mágico!

Depois de uma experiência incrível, chegava a vez do perrengue da viagem: o retorno. Lembra que falei que são 3h de viagem cada trecho? Pois saímos depois das 16h de Novo Airão. A estrada é bem razoável, mas mão-dupla, com alguns buracos e sem acostamento. Quando dia claro, você tira de letra e até chega a 100Km/h em alguns trechos mais retos. Mas a noite, já era. A galera mal-educada mete o farol alto e corta na contra-mão direto. Fiquei muito bolada, dirigindo bem mais devagar, e escurecia cada vez mais. Não há iluminação na estrada. Resultado: muita tensão, 1 pneu furado, trocado graças a uma entradinha de uma fábrica com luz e acostamento mínimo e a ajuda do Diego e Vivi. Além de perdermos nossas entradas pro Teatro Amazonas porque chegamos tarde. 😦

Mas os botos… valem o passeio. Desde que você se planeje 😉

Leia também:

6 opiniões sobre “Novo Airão – Amazonas, e os botos-cor-de-rosa

  1. Pingback: Guia de Viagem para Manaus | RBBV – Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem

  2. Cris,

    Este é um passeio imperdível e que tinha muita vontade de fazer e seguir suas dicas.
    Uma amiga me levou de carro. A estrada é relativamente boa, alguns trecho com buracos que merecem atenção.
    Tocar e ver aqueles animais lindos dando saltos é emocionante.

    Abraços!

    Curtir

    • Oi, Vaneza!
      Que bom que foi a Novo Airão e curtiu. Os botos são incríveis, não?
      Espero que Manaus tenha sido uma agradável experiência. Já estou de volta. Pena que desencontramos. Agora tenho que me programar para ir a Salvador… rsrs
      Beijo

      Curtir

      • Oi Cris,
        Gostaria de realizar esse passeio com meu filho, saindo com carro próprio de Manaus, você poderia, por gentileza, passar o contato do Flutuante Marilia?
        Grata por tua resposta.

        Curtir

  3. Pingback: Navegar é Preciso - cruzeiro literário pela Amazônia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s