Mendoza, Argentina: vinhos, roteiros e dicas

Mendoza

Mendoza é um importante destino turístico no oeste da Argentina. Sua localização na borda da Cordilheira dos Andes proporciona clima ideal para produção de vinho e azeite, e para prática de esqui durante o inverno nas estações próximas. Fui a Mendoza em agosto de 2009 a partir de Bueno Aires. Pegamos um ônibus semi-leito da Chevallier no bairro Retiro. Ele sai por volta das 20h e faz a viagem de 14h, a maior parte durante a noite. Estávamos indo a um Congresso no Centro de Convenções de Mendoza. Passei 5 dias na cidade, mas nem todos dedicados ao turismo.

Roteiro em Mendoza

Um city tour pela cidade de Mendoza, com o Centro e suas principais praças (tendo a Praça Independência no seu coração), leva 1 dia inteiro. Fiz só a 1ª parte descrita abaixo, pois estava presa à programação do congresso e não podia me ausentar muito.

  • Mendoza2Na praça onde fica o Centro de Convenções de Mendoza, tem também uma enoteca, Palácio Policial, Casa do Governo, Palácio de Justiça e Palácio Municipal. A 1 quadra fica a Igreja Coração de Jesus, e mais 2 quadras, a Praça Pellegrini. Nas imediações também ficam a Praça Espanha, Praça Itália, Praça Independência (com o Teatro Quintanilla, Museu de Arte Moderna e artesanatos) e Praça San Martin. Tudo isso dá para fazer a pé em meio-dia.
  • Andando um pouco mais ou pegando um táxi, chega-se ao Parque O’Higgings, com um serpentário, aquário, teatro, sítio arqueológico e ali perto as ruínas de São Francisco.
  • Mais afastado há o enorme Parque San Martin, onde fica a cidade universitária, há um estádio e zoológico, mas não cheguei lá. Nesse parque fica o Cerro de La Gloria, com vista panorâmica da cidade.

Tour vinho + azeite

Mendoza produz 70% do vinho argentino e é o 5º lugar no mundo na produção vinícola. A uva mais famosa é a Malbec, mas Mendoza também é exímia produtora de Cabernet Sauvignon, Tempranillo, Malbec e Chardonnay. São cerca de 1.200 vinícolas, mas “apenas” 100 recebem visitantes para degustação, em tours organizados que passam pelos parreirais e instalações e pelas lojinhas de suvenires. Aqui ficam as bem conhecidas dos brasileiros Trapiche e Chandon. As vinícolas, ou “bodegas”, se distribuem por 3 distritos: Luján de Cuyo, Maipu e Valle de Uco. Fiz um tour de meio-dia (a tarde) incluindo vinho + olivícola:

  • 1ª parada na bonita vinícola Weinert, em Luján de Cuyo, com passeio pela área de produção e armazenagem dos barris e degustação de 2 vinhos;
Vinícola Weinert

Vinícola Weinert

  • 2ª parada na vinícola Família Cecchin em Maipú (bodega artesanal com produtos orgânicos, produz vinho e azeite) com passeio pelo campo com parreiras e oliveiras, pelas dependências pequenas e degustação de 2 vinhos;

Cecchin

  • 3ª e ultima parada na olivícola Laur em Maipú, com visita pelas oliveiras, mini-museu e fábrica, e degustação de azeitonas, pão com azeites, tomates secos, e pastas de azeitona.

esqui-PenitentesMendoza recebe muitos montanhistas em busca de aventura na maior montanha das Américas, o Aconcágua, com 6.962 metros de altitude. Em seu entorno há também muitas estações de esqui, que funcionam no inverno. Fiz um Tour  de esqui em Penitentes, de um dia inteiro.

Informações úteis

Como chegar: de avião com escala em Buenos Aires ou de ônibus a partir de Buenos Aires também.

Transporte na cidade: para conhecer o Centro, uma caminhada a pé basta. Para conhecer as vinícolas, produtoras de azeite e esquiar, melhor contratar um passeio em agência.

MendozaInn

Hostel Mendoza Inn (clique para ampliar)

Onde ficar / hospedagem: Fiquei no albergue Mendoza Inn, de onde conseguia ir andando para o Centro de Convenções e também para os principais pontos turísticos da cidade.

Moeda/câmbio: peso argentino, como em todo o país. Há caixas automáticos do Banco de La Nación pela cidade. Agências de turismo, hotéis e restaurantes aceitam cartão de crédito.

Quando ir: no inverno, dá para combinar visitas a vinícolas e aventura nas estações de esqui; no final do verão, época da colheita, as temperaturas estão mais amenas, os parreirais verdes e carregados de uva. Entre a última semana de fevereiro e a primeira de março, ocorre a Festa Nacional da Vendimia com degustações de vinho pelas ruas do Centro de Mendoza. Eu fui no inverno, em agosto. vinho_Weinert_Mendoza

Não deixe de: fazer um tour de vinhos, e beber vinho em cada restaurante que puder, além de comprá-los nos mercados.

Compras e Lembrancinhas: vinho, muito vinho! Pra quem não bebe, azeitonas em conserva e azeites frescos deliciosos, tomates secos divinos. Também fiz compras em um bom outlet da Adidas.

Dicas de vinhos de Mendoza com bom custo benefício (baseado em guias de vinho):

  • Altos Las Hormigas Colonia Las Liebres – Bonarda
  • Bodega Vistalba Tomero – Malbec
  • Caligiore – Malbec
  • Cecchin Malbec Sin Sulfitos – Malbec
  • Cecchin Orgânico – Carignan
  • Cecchin Orgânico – Graciana
  • Cinco Tierras Malbec
  • Franceschini Posenato Bacân – Malbec
  • Hubert Weber Vineyard Selection – Malbec
  • Makia – Merlot
  • Weinert Carrascal – Malbec, C. Sauvignon, Merlot

Leia também:

6 opiniões sobre “Mendoza, Argentina: vinhos, roteiros e dicas

  1. Quem procura um excelente guia / motorista em Mendoza, pode procurar a – DAMIAN ALMEIDA- damian.almeida86@hotmail.com que não vai se arrepender. Absolutamente impecável em todo os sentidos.. Solicitei um roteiro personalizado nas vinícolas que eu queria e aconteceu tudo melhor que esperado! Damian tem muito bom gosto, é simpático, educado, enfim: TOP em todos os sentidos.. visitamos vinicolas impecavel almoçamos em lugares especialíssimos – . Pode ir de olhos fechados – Pessoa de confiança. Recomendo a todos!

    Curtir

  2. Parabéns !, que excelente matéria, me fez recordar a minha viagem a Mendoza. Eu estou tentando aprender sobre vinhos e lá tive uma experiência inesquecível. Quando fui eu já tinha algumas vinícolas em mente, Catena Zapata, Pulenta Estate, Salentein, Tempus Alba, enfim, as mais conhecidas, mas por indicação da agencia de turismo também conheci algumas vinícolas que ainda não exportam vinhos para Brasil e amei. Como sou estudante de sommelier pedi para a agencia agendar visitas mais técnicas e pude desfrutar de experiências mais intensas com degustações em mãos de enólogos e dos donos das vinícolas. Como era a primeira vez, eu não preferi arriscar e fui nas vinícolas com uma agencia de turismo especializada. Se me permitem fazer uma sugestão para quem ainda não foi, eu recomendo a empresa de turismo Mendoza Holidays (http://www.mendozaholidays.com), planejei a minha viagem por Skype com a Andréa, que é brasileira e assessora em vinhos e que me atendeu e também me acompanhou. Quero voltar e conhecer as vinícolas que por falta de tempo não pude ir. Boa viagem a todos! Carol

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s