Viajando pela Bolívia – roteiros e dicas

bandeira BolíviaEm setembro de 2014 viajamos de mochilão pela América do Sul. Já contei sobre o Peru, agora falo sobre a Bolívia, oficialmente Estado Plurinacional da Bolivia. Isso porque todas as etnias indígenas são reconhecidas pela Constituição. Um país incrível, que provoca sentimentos complexos.

Vá se tiver espírito aventureiro e coração aberto. Prepare-se para a pobreza e turismo sem infra-estrutura em ambientes extremos de frio, baixa umidade e altitude. Eu adorei conhecer a Bolívia, por me proporcionar experiências e vivências como nunca tive em nenhum lugar. Mas rola um perrengue.

Breve História: A Bolívia fez parte do Império Inca, antes da colonização espanhola. Desde sua independência em 1825 por Simón Bolívar, o país passou por períodos de instabilidade política e econômica, guerras, revoluções civis, ditaduras (64-82) e perdas territoriais por guerras ou diplomacia. A perda mais sentida e reivindicada até hoje foi de seu litoral para o Pacífico, para o Chile. O deserto do Atacama também foi cedido ao Chile. Para o Brasil, a Bolívia perdeu o Acre, parte do Amazonas e de Mato Grosso. Para o Paraguai, perdeu a área do Chaco.

Perdas territoriais da Bolivia

Perdas territoriais da Bolívia. Imagem: wikipedia

Evo Morales, presidente da Bolívia

Evo Morales, presidente da Bolívia. Com trajes locais e seu tradicional colar de folhas de coca, defendendo a tradição cultural do país. Imagem: http://larepublica.pe/

Hoje a Bolívia é presidida por Evo Morales, 1º presidente indígena num país 85% indígena. Evo (ganhando 3 eleições no 1º turno) veio nacionalizar as indústrias de gás, petróleo, mineração, incluir a população indígena e combater a pobreza e desigualdades no país. Resumindo: resistir a influência dos EUA na Bolívia, principalmente em relação a plantação de coca (que é usada terapêutica e culturalmente no país). Sobre o uso da coca, só viajando pelo Peru, Bolívia e norte do Chile é possível compreender sua importância vital, e falarei sobre isso em outro post.

Dicas:

  • Vacina e documentação: É necessário ter a vacina contra febre amarela comprovada na carteira internacional e carteira de identidade atual. Mas sempre é bom levar o passaporte.
  • Transporte: Chegamos na Bolívia de ônibus vindo de Puno no Peru. É possível também entrar via aérea ou por terra de outros países. De Copacabana, fui para La Paz também de ônibus. De La Paz, voei até Uyuni para conhecer o salar (deserto de sal) em jipe. Com o mesmo jipe, atravessamos a fronteira pro Chile até o Atacama.
  • BolivianosDinheiro/moeda/câmbio: A moeda boliviana é o Boliviano (R$1 = s/ 1,92. US$1 =  s/ 6,90). É possível fazer câmbio de dólares e reais, ou ainda de soles chilenos, caso você esteja vindo de lá (faça câmbio do real, e não perca dinheiro em taxas 2 vezes). O câmbio em Copacabana ou La Paz é melhor que nas fronteiras. Vivemos de saques em moeda local com cartão do Banco do Brasil e pagamento de hotéis e passeios no cartão de crédito. Para usar o cartão, habilite o uso no exterior. Em alguns lugares, você vai usar apenas os 4 primeiros números da senha do cartão.
  • Fuso: Em relação ao horário de Brasília (oficial, fora do horário de verão), a Bolívia tem menos 1 hora.
  • Clima: O país possui climas e ecossistemas bem distintos, dependendo do roteiro da viagem você vai pegar o calor tropical na Amazônia boliviana, ou neve nos andes. A nossa viagem foi quase toda com temperaturas baixas. Em Copacabana usamos calças jeans com camiseta, com o casaco a mão, porque venta perto do lago Titicaca. Em La Paz e Tiwuanacu o casaco e gorro foram necessários. Já em Uyuni, as vezes nem as 3 camadas de roupas resolviam o frio.
deserto Uyuni, frio

Passando frio mesmo com 3 camadas no fantástico deserto de Uyuni.

  • O que levar na mala: Esqueça regatas, saias, sandálias… Veja minha mala aqui.
  • Segurança: esse quesito ainda deve melhorar muito na Bolívia. Não nos sentimos seguros em Copacabana a noite porque era muito deserto, mas pela manhã foi tudo bem. Em La Paz ficamos alertas mesmo de manhã, mas nada ocorreu. Em viagens de ônibus, cuidado com as mochilas, prefira ficar com elas no seu pé.
  • Língua: A língua oficial é o espanhol. Dá pra desenrolar no portunhol, mas aprenda a falar o básico antes de ir. Obrigado, desculpe, por favor, … são coisas mínimas que devemos saber. Além do espanhol, há 37 línguas indígenas reconhecidas (entre elas o amimará, quíchua e guarani).
  • Quando ir: Como o ponto alto era Uyuni, escolhemos um mês entre os mais secos (junho a novembro), para não pegar chuva e correr o risco de atolar com o jipe. Fomos em setembro, e o tempo estava bem firme, nada de chuva.
  • Altitude: Alto em todo o roteiro, providencie o Soroche Pills (remédio local que vende em qualquer farmácia) e mantenha seu uso 2x ao dia enquanto estiver em altitude. Tome sempre o chá de coca, masque as folhas e aproveite a coca em outras formas: bala, chocolate, etc. Sem a coca não dá pra aguentar a altitude sem se sentir mal. Não dá nenhuma onda, porque não há absorção do alcaloide da cocaína nesses tipos de uso sem refinamento.
  • Não deixe de … visitar o salar de Uyuni, com paisagens fantásticas!
Uyuni, lagoa

Uyuni e uma de suas lagoas com flamingos: sem filtros, sem photoshop. Simplesmente linda!

  • Água e alimentos: Tente beber apenas água mineral. A maioria das marcas são águas de mesa, apenas “tratadas” (filtradas). Não encontrei nenhuma marca mineral. Resultado: meu marido teve piriri e cólicas em TODOS os dias na Bolívia, o que nos impediu de fazer alguns passeios. Evite também comidas de rua, preferindo sempre alimentos bem cozidos em restaurantes com boa aparência.
  • Comprar, lembrancinhas: Compras na Bolívia são bem baratas. Vale investir em roupas de frio, principalmente casacos/luvas/gorros/meias de lã de lhama ou alpaca.

Roteiros no Peru

  • Dias 6 e 7 – Copacabana e a Ilha do Sol
  • Dia 7 – Ônibus + balsa para La Paz
  • Dias 7, 8 e 9 – Roteiro em La Paz, capital da Bolívia, e ruínas Tiwuanacu
  • Dia 10 – Voo de La Paz para Uyuni
  • Dias 10, 11 e 12 – Passeio de 3 dias e 2 noites em Uyuni

Fiz também posts específicos sobre o roteiro completo, sobre dicas para esse roteiro, sobre o que levar na mochila/mala e na necessaire com medicamentos, e sobre os custos no Peru e Bolívia. Acompanhe!

Uma opinião sobre “Viajando pela Bolívia – roteiros e dicas

  1. Olá!
    Qual empresa de ônibus vocês foram de Copacabana para La Paz, sabe se é possível alguma linha que passe em Tiwanaku? Ou é melhor ir para La Paz e depois pegar um tur pra Tiwanaku?

    Aproveitando rs, vocês acham muito arriscado (só pegar chuva) uma viagem em janeiro para Peru, Bolívia e Chile?

    Muito obrigada

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s