São João na Bahia em 3 etapas: Cachoeira, Cruz das Almas e Salvador

São João na BahiaA Festa de São João é levada muito a sério na Bahia, principalmente no interior. Para os nordestinos em geral, as festas juninas são bem mais que devoção a santos católicos, são momentos de sociabilidade familiar. É a ocasião de reunir os familiares que moram nas capitais, de receber em casa os parentes, amigos, vizinhos e até desconhecidos. Quando se oferece a eles a melhor comida, a melhor colheita, a melhor bebida, tudo ao som de muito forró. As casas são enfeitadas com bandeirinhas e fogueiras são montadas em suas portas, e muitos fogos de artifícios são usados nas comemorações.

Eu já estive no São João em Campina Grande em 2015 e gostei muito. Mas me desculpe o “maior São João do mundo”, eu gostei bem mais das festas no interior da Bahia, onde inclusive é feriado no dia 24 de Junho, dia de homenagem a esse santo.

Meu roteiro passou por 3 cidades durante 3 dias de festejos juninos. Duas cidades do interior, no Recôncavo Baiano sul: Cachoeira e Cruz das Almas. E a capital Salvador.

São João em Cachoeira

São João em Cachoeira BACachoeira fica no interior da Bahia, no Recôncavo Baiano, a cerca de 120 Km de Salvador e às margens do Rio Paraguaçu. É uma cidade histórica importante, com muitos prédios históricos.

A festa de São João em Cachoeira ocorreu entre os dias 22 e 25 de junho (data que é feriado na cidade, quando ela se torna capital da Bahia por um dia no ano, em reconhecimento às lutas pela independência do Brasil). A cidade se enfeita de bandeirinhas e decoração junina e as festas tomam conta do palco 1, situado no Jardim Grande (Praça Ubaldino de Assis), e no palco 2, na Rua 25 Junho. Na beira do Rio Paraguaçu ocorre a tradicional Feira do Porto, onde produtores rurais de Cachoeira e região comercializam seus produtos. Apresentação de filarmônicas, quadrilhas, grupos culturais e vários shows de grandes nomes do forró e sertanejo nacional fazem parte da programação.

São João em Cachoeira BA

A cidade de Cachoeira estava se preparando para as festas de São João quando passei por ela, entre os dias 21 e 22 de junho. Vale a pena circular pela cidade e conhecer sua arquitetura colonial e prédios históricos. Melhor ainda sentar na beira do rio para uma refeição ou um chope, ou apenas apreciar a paisagem e a cidade de São Félix do outro lado.

São João em Cruz das Almas

Cruz das Almas também fica no interior da Bahia, no Recôncavo sul Baiano, a cerca de 146 Km de Salvador. Sua Festa de São João é uma das maiores do Brasil, quando chega a receber o dobro de sua população.

São João Cruz das Almas

Respeita as Mina

Respeita as Mina sempre e no São João de Cruz, também… é claro. Campanha da Secretaria de Políticas Especiais da Prefeitura de Cruz das Almas.

A festa em 2018 ocorreu de 21 a 24 de junho e homenageou os 100 anos de Luiz Gonzaga. A programação é extensa, ocorre durante quase o dia inteiro em 3 locais diferentes. O circuito Oton Silva, localizado na Praça Senador Temístocles é onde ocorrem eventos durante a manhã e tarde. Quadrilhas, apresentações, e a Festa da Agricultura Familiar e Economia Solidária. Os shows da Praça Multiuso começavam no final da tarde, às 18h. A programação do palco principal e do palco do Carramanchão (nos intervalos) na Praça Sumaúma começava às 22 horas com atrações imperdíveis como Alcymar Monteiro, banda Mala e Cuia, Elba Ramalho, Flávio José, Alceu Valença e muitos outros.

Duas campanhas muito interessantes me chamaram atenção, além da programação espetacular e do clima familiar: a divulgação oficial como sendo o “São João 100% forró” e o orgulho da cidade com isso, em alusão às festas juninas que usam mais sertanejo, funk ou qualquer outro estilo musical não tradicional junino. (E eu amei por isso!!!) Inclusive na tenda da Secretaria de Turismo havia uma enquete com os turistas para saber se concordavam e lógico que fui dar meu voto super favorável. A outra campanha de tirar o chapéu era a “Respeita as Mina” da Secretaria de Políticas Especiais da Prefeitura de Cruz das Almas. Ela fala por si só.

Além do forró, o que não pode faltar numa festa junina são as comidas típicas. E no entorno das praças sempre havia muitas barracas com as comidas mais desejadas do mês de junho (e julho, e no ano inteiro!).

Elba Ramalho

Show da Elba Ramalho no palco principal da Praça Sumauma

guerra de espadas

A guerra de espadas é uma tradição, apesar de proibida há anos na cidade | foto: Lúcio Távora | Ag. A Tarde

Uma curiosidade nos festejos juninos em Cruz das Almas é a tradicional Guerra de Espadas. Não se trata de uma luta com armas de metal, como eu cheguei a pensar. São fogos de artifício, tubos de bambu ou papelão preenchidos com pólvora. Eles acendem e a “espada” ganha vida, saindo rodando no ar e no chão em todas as direções e dimensões possíveis. A graça é correr, pular, chutar, fugir da espada de qualquer maneira. Quem não consegue fugir acaba no hospital, e são dezenas todos os anos, alguns com ferimentos graves. As paredes das ruas onde ocorrem as lutas são todas marcadas de linhas grossas de fogo, e as casas colocam tapumes na fachada nesse período pois já ocorreu de espadas entrarem em domicílios. A prática é perigosa e até é proibida por lei, mas continua ocorrendo pois os moradores alegam ser uma cultura local, que gostam muito e se divertem.

junho Cruz das Almas

Fogueiras em quase todas as calçadas, ruas e casas enfeitadas com bandeirinhas e restos de “espadas” pelo chão. Assim são as festas juninas em Cruz das Almas

Tem mais uma coisa interessante e peculiar no São João em Cruz das Almas: os cortejos de forró. Grupos de amigos e/ou famílias saem pelas ruas tocando e cantando forró, ou com algum som, e vão animando as ruas por onde passam, muitas vezes entrando nas casas e convidando quem passa para integrar o cortejo. Participei de um e achei sensacional! Adorei essa interação entre as pessoas.

Forró em Cruz das Almas

E o nosso cortejo terminou assim: galera dançando forró na Praça Senador Temístocles (que estava linda e super enfeitada)

Enfim, gostei demais desse São João, um dos melhores da minha vida! Só tenho a agradecer às pessoas que me recepcionaram e me proporcionaram essa festa linda!

São João em Salvador

No terceiro dia retornamos à capital e fomos aproveitar o São João no Pelourinho. Já prevendo o trânsito, dificuldade de estacionar, e também para beber sem preocupação, fomos de Uber. Quando o trânsito apertou completamos o trajeto a pé. No acesso à Praça do Terreiro de Jesus, onde estava o palco principal, fila grande para entrar. E na praça estava impossível andar, chegar perto do palco então… A decoração estava linda! Mas erraram em deixar as barraquinhas na beira da praça pois impedia de ver o palco de longe. Talvez a prefeitura não previu esse número de pessoas na cidade, pois muita gente costuma viajar para o interior. E podem não ter viajado esse ano porque o São João caiu no domingo e não foi feriado prolongado.

Enfim, curti muito com os amigos apenas ouvindo o show maravilhoso de Geraldo Azevedo. A programação de shows estava sensacional também.

São João no Pelourinho

Geraldo Azevedo no palco principal do Pelourinho. O máximo que eu consegui ver do palco.

E havia outros palcos espalhados por vários pontos do Pelourinho, mas tudo bem cheio. A maior dificuldade era conseguir cerveja gelada, e ir ao banheiro. Gostei de ter ido, valeu a pena, mas é pra quem tem paciência em andar no tumulto.

São João no Pelourinho

Decoração linda no São João do Pelourinho

Que venha o São João de 2019. Já sei pra onde quero ir de novo. rs

Leia mais:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s