Quênia, mais informações, dicas e roteiro

Acabei de chegar do Quênia. Viagem maravilhosa para quem ama observar animais selvagens! Já comecei a contar sobre o Quênia, as primeiras impressões e informações para viajantes no post anterior. Aqui vou continuar com informações importantes e dicas.

  • shillings moeda queniamoeda/câmbio: A moeda local é o shilling. O câmbio em setembro de 2018 estava entre 97 e 103 shillings = 1 dólar. O real que variou demais em relação ao dólar, desvalorizando. Então nem vou fazer a conversão usando o real aqui.
  • segurança: Não tivemos nenhum problema nesse tempo de mais de 2 semanas no país, e havia bastante mulheres no grupo. Mas é um lugar onde eu não andaria tranquilamente sozinha. Andamos sempre em grupo, preferimos usar o Uber que transporte público. Principalmente quando saímos da capital Nairóbi, chamávamos bastante atenção por sermos brancos. E a recomendação (do órgão de turismo local) era usar roupas compridas para chamar menos atenção. O país é de maioria católica, mas há bastante muçulmanos também e mulheres andando sozinhas chamam ainda mais atenção. Numa loja de artesanato na estrada um vendedor me perguntou se o meu marido estava na loja e preferi mentir e dizer que sim.
  • tomadas: padrão inglês, precisa levar um adaptador. Se você não tiver, compre no aeroporto. Em nenhum dos hotéis por onde passamos havia outro padrão ou adaptador para emprestar.

tomadas inglesas Malta

  • clima: o país se encontra na linha do Equador. Mas não tente comparar com o norte do Brasil (Amazonas ou Pará, por exemplo), que está na mesma altura no Globo. O clima é completamente diferente. Apenas o litoral possui um clima equatorial, quente e úmido. A planície é quente e seca, e Nairóbi tem alta altitude, e é bem mais fria. Em agosto a temperatura flutuou entre mínima de 14ºC a noite e 27ºC ao meio-dia, estava bem nublado durante todo o dia e o sol abria poucas vezes, choveu pouco apenas alguns dias. Portanto, não deixe de levar um casaco para usar de manhã e a noite.
  • quando ir: para evitar os período de chuva (abril a junho são as chuvas fortes, e de outubro a dezembro são as chuvas curtas), os melhores meses são de janeiro a março (com mais calor) e julho a setembro (mais fresco). Mas de julho a setembro ainda ocorre a grande migração de animais do Parque Serengueti (na Tanzânia) para o Masai Mara (Quênia).
grande migração Quênia

Grupos enormes de gnus e zebras chegam ao Masai Mara após migrarem da Tanzânia

  • não deixe de ter uma experiência com a vida selvagem. Além dos Big Five (elefante, rinoceronte, búfalo, leão e leopardo), o Quênia se orgulha dos seus Small Five (musaranho elefante, besouro rinoceronte, tecelão de búfalo, formiga leão, tartaruga leopardo) e dos Big Five marinhos (tubarão-baleia, baleias, tubarões, tartarugas marinhas e peixes-agulha). Ainda tem uma diversidade de aves incrível, cerca de 1.100 espécies.
Big Five Quênia

Big Five: cinco mamíferos selvagens de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem

  • lembrancinhas: para comprar de souvenir ou para presentear, os quenianos são famosos por produzir cangas coloridas (Kanga) que estamos acostumados a usar na praia mas podem ser usados como lenços ou cachecol ou até sarongues; o KIKOI é um cobertor vermelho muito usado pelos homens Maasais como vestimenta, ou em volta do ombro como uma toga, pode ser usado das mais diversas formas (nos hotéis eram tanto cobertor da cama como uma manta a ser usada nos ombros); artesanato em madeira (cuidado com as madeiras ameaçadas e raras, como mogno, ébano negro e baobá), em folha de bananeira, em contas dos Maasai.
artesanato Maasai Quênia

artesanato em madeira

  • Comidas e Bebidas típicas / restaurantes visitados: vou deixar para um post a parte, Aguarde!

Detalhamento do roteiro diário

  1. Saída do Rio no final da tarde e de SP a noite
  2. Dia inteiro voando. Chegada na madrugada do dia 2 para o dia 3
  3. Descansar do vôo. Nairobi National Museum (a tardinha teve início o Congresso para o qual eu fui, que durou 6 dias – e não vou detalhar aqui, pulando esses dias)
  4. Karura Forest + Village Market + Maasai Market + jantar no Asian Gardens
  5. Nairobi National Park: Orphanage Centre, Safari Walk e restaurante + Elephant Orphanage David Sheldrick Wildlife Trust + Giraffe Centre
  6. Saída de Nairóbi para excursão de safári no pacote com a empresa Africa FlashMC Tours and Travels. Parada no Great Rift Valley, chegada no hotel e almoço. Tarde de safári no Masai Mara National Reserve
  7. Full day explorando o Masai Mara National Reserve, com almoço em pic-nic no meio da savana. Visita a uma vila Maasai a tardinha
  8. Ida para o Lake Naivasha. A chuva atrapalhou a programação e ficamos com a tarde livre.
  9. Lake Naivasha: passeio de barco com hipopótamos e muitas aves. Hell’s Gate National Park: safári de bicicleta e trilha a pé entre cânions. Ida para Amboseli a tarde e noite
  10. Full day explorando o Amboseli National Park, com almoço no mirante
  11. Early morning game drive, com nascer do sol no Amboseli National Park. Retorno para Nairóbi após o almoço. Jantar no Carnivore
  12. Masai Market no Centro + começo do retorno ao Brasil
  13. Chegada ao Brasil tarde da noite
Dança Maasai

Dança Maasai na visita a vila: o quanto eles conseguem pular influencia nas escolhas femininas pelos parceiros

Onde ficar, hospedagens

Fiquei em hospedagens diferentes ao longo desse viagem, devido a necessidades diferentes em cada período.

Oldarpoi Mara Camp

Oldarpoi Mara Camp, próximo ao Masai Mara

1ª hospedagem: Gigiri Express Hotel, na UN Avenue – GigiriNairóbi. Hospedagem funcional e prática para o período de 1 semana do Congresso que ocorreu nas Nações Unidas. Foi ótimo, íamos andando.

2ª hospedagem: Oldarpoi Mara Camp, nossa hospedagem de 2 noites em tenda de luxo para o safári no Masai Mara National Reserve, acessando pelo portão Sekenani.

3ª hospedagem: Taphe Guest Resort, nossa hospedagem para o Lake Naivasha e Hell’s Gate National Park. Foi bem fraco e tivemos problema na reserva. Estava cheio e a responsável queria colocar nosso grupo num hostel, todos no mesmo quarto, num local próximo. Não recomendo.

4ª hospedagem: AA Lodge Amboseli, nossa hospedagem de 2 noites em tenda de luxo para o safári no Amboseli National Park. A melhor hospedagem do período.

5ª hospedagem: Safari Homestay, hospedagem de 1 noite no retorno a Nairóbi, próximo ao aeroporto.

Leia também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s